Translation

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quarta-feira, 15 de maio de 2013


Um poema

Sou desses poemas
Que vagueiam entre livros
Presos nas estantes empoeiradas.
Há muito não me leem
Quase esquecido
Retiro-me para o infinito de  mim.
As traças, elas sim, sabem meu valor
E me devoram
Como devoram abelhas o néctar das flores.
E sugam de mim a Vida
Eu que já fui lava
Depois pó
Agora? Nada!
Um nada preso entre livros
Nessa Estante empoeirada.

4 comentários:

Giliard disse...

Mais lindo que este poema, só o teu sorriso e o teu espírito, minha amiga.

na ponta da lingua disse...

Lilian...você sabe o que diz. Belo poema!

Ariane Neuhaus disse...

"as traças, elas sim, sabem meu valor / e me devoram"! curti!

Lilian Pool disse...

Obrigada meus queridos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...